Seja um voluntário

Academia de Ciências e Humanidades das Ilhas do Pacífico: um passo fundamental em direção a um futuro resiliente

As Ilhas do Pacífico estão a dar um passo crítico para estabelecer uma Academia de Ciências e Humanidades para unificar e reconhecer os académicos do Pacífico e a sua investigação para informar as decisões internacionais sobre a região.

Há um sentimento de urgência no Pacífico para estabelecer uma Academia de Ciências e Humanidades. Não é apenas uma resposta aos desafios regionais, mas um apelo retumbante para unificar e reconhecer os académicos do Pacífico e a sua investigação para informar as decisões internacionais sobre a região. O Pacífico está a dar um passo crítico em frente e as implicações globais deste movimento são profundas. 

Um acordo histórico para estabelecer uma Academia de Ciências e Humanidades nas Ilhas do Pacífico foi alcançado em um encontro de 60 estudiosos do Pacífico em Apia, Samoa, em outubro de 2023. Constitui um marco significativo na busca partilhada de conhecimento para um Pacífico próspero e próspero.

No Denunciar dessa reunião, os académicos apelam a que uma futura Academia: “representa a diversidade cultural do Pacífico, bem como a sua vasta gama de disciplinas naturais e sociais, e incentiva a educação científica em todas as suas formas. O novo órgão deverá complementar o trabalho dos organismos científicos, académicos e diplomáticos existentes e ser ético, transparente e inclusivo, abraçando a “Via do Pacífico” de diálogo aberto, respeito mútuo e cooperação estreita.

Ao olharmos ao nosso redor, vemos um mundo enfrentando inúmeros desafios que exigem a nossa atenção. A região do Pacífico, com a sua diversidade geográfica, económica e cultural única, é particularmente vulnerável, sofrendo impactos crescentes das alterações climáticas, da extracção de recursos e da degradação ambiental e marinha, da instabilidade social e das tensões geopolíticas. Uma Academia de Ciências e Humanidades das Ilhas do Pacífico pode enfrentar estes desafios de forma colectiva e estratégica.

Os problemas complexos que enfrentamos hoje não estão confinados às fronteiras nacionais; eles exigem colaboração em escala internacional. A Pacific Academy fornece uma plataforma vital para que acadêmicos colaborem, se unam e elevem a voz regional da ciência para o mundo por meio do Conselho Científico Internacional. É um ponto de encontro para abordagens transdisciplinares que transcendem fronteiras e contribuem significativamente para decisões sobre o nosso futuro partilhado.

Também é uma promessa imensa de nutrir a próxima geração de mentes científicas. Os jovens aspirantes a cientistas no Pacífico, muitas vezes confrontados com recursos e oportunidades limitados, podem beneficiar de orientação, desenvolvimento de carreira, financiamento de investigação e oportunidades de networking inestimáveis ​​que uma Academia pode proporcionar.

Visualizamos uma oportunidade que capacita os jovens, oferecendo-lhes a oportunidade de cultivar carreiras globalmente relevantes em casa, no Pacífico, garantindo um legado sustentável de excelência científica que ressoe através das gerações.

A criação de uma Academia de Ciências do Pacífico é mais do que um esforço regional; é um testamento e um compromisso global para a promoção do desenvolvimento sustentável. Ao fornecer soluções transdisciplinares para problemas complexos, uma Academia oferecerá aconselhamento científico independente aos governos e informará as políticas públicas em benefício das comunidades, não apenas no Pacífico, mas em todo o mundo.   

Quando a Academia do Pacífico for concretizada, juntar-se-á às fileiras das academias científicas nacionais e regionais a nível mundial como membro da Conselho Internacional de Ciência, desempenhando um papel fundamental na contribuição para a voz da ciência para o bem comum global.

As academias eruditas em todo o mundo desempenham um papel significativo ao dar à ciência uma voz mais autoritária e influente do que os indivíduos ou as universidades podem obter isoladamente, uma vez que são independentes dos interesses governamentais, académicos e comerciais.

A criação da Academia de Ciências e Humanidades das Ilhas do Pacífico vai além de uma aspiração regional e é agora um imperativo global. É um apelo à acção para que a comunidade internacional reconheça e apoie o Pacífico na sua busca de conhecimento para a prosperidade e resiliência do nosso planeta partilhado. A hora desta Academia é agora e o mundo deve ser solidário com o Pacífico à medida que dá este passo fundamental rumo a um futuro mais sustentável e interligado.

Co-signatários: O Comitê de Estabelecimento da Academia do Pacífico
Sir Collin Tukuitonga, Universidade de Auckland; Prof. Teatulohi Matainaho, Universidade Adventista do Pacífico, Papua Nova Guiné; Dra. Vomaranda Joy Botleng, Vanuatu; Robert Karoro, Quiribáti; Dr. Eric Katovai, Universidade Nacional das Ilhas Salomão; Prof. Sushil Kumar, Universidade do Pacífico Sul, Fiji; Peseta Su'a Dr. Desmond Mene Lee Hang, Universidade Nacional de Samoa; Salote Nasalo, Universidade do Pacífico Sul; Prof. Steven Ratuva, Universidade de Canterbury; Prof. Ora Renagi, Universidade de Tecnologia de Papua Nova Guiné; Profª Catherine Ris, Universidade da Nova Caledônia; Merita Tuari'i, Te Puna Vai Mārama, Centro de Pesquisa das Ilhas Cook.

Notícias relacionadas: Planos para estabelecer uma academia de ciências do Pacífico avançam ➡️


Ative o JavaScript em seu navegador para preencher este formulário.

Mantenha-se atualizado com nossos boletins


Imagem por SAVS Photography

Ir para o conteúdo