Gender Gap in Science Project - Conclusões publicadas no relatório

Uma importante descoberta de pesquisas recém-divulgadas sobre a diferença de gênero na ciência descobriu que as experiências das mulheres em ambientes educacionais e de emprego são consistentemente menos positivas do que as dos homens.

Gender Gap in Science Project - Conclusões publicadas no relatório

A igualdade de gênero está intrinsecamente ligada ao desenvolvimento sustentável e é vital não apenas para o desenvolvimento e o progresso da ciência, mas também para a realização dos direitos humanos para todos e o cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas.

É nesse cenário que, em 2017, vários sindicatos científicos internacionais iniciaram um projeto de três anos financiado pelo ISC sobre o Gender Gap in Science: Uma abordagem global para a lacuna de gênero em ciências matemáticas, computacionais e naturais: como medi-la, como reduzi-la?

O projeto é composto por três áreas principais de pesquisa: um estudo baseado em dados sobre publicações, uma pesquisa global de cientistas e um banco de dados de boas práticas. O Denunciar, editado por Colette Guillopé e Marie-Françoise Roy, descobriu que as experiências das mulheres em ambientes educacionais e de emprego são consistentemente menos positivas do que as dos homens. Preocupantemente, mais de um quarto das respostas das mulheres nas ciências relataram ter sofrido assédio sexual na universidade ou no trabalho. Além disso, as mulheres eram 14 vezes mais propensas do que os homens a relatar serem assediadas pessoalmente e relataram consistentemente relacionamentos menos positivos com seus orientadores de doutorado.

“A ciência é universal. Mas o progresso científico não garante uma melhor conscientização e igualdade de gênero.”

Marie-Françoise Roy, União Matemática Internacional

Por onde começamos?

Segundo Catherine Jami, da União Internacional de História e Filosofia da Ciência, a mudança deve começar com a quebra das barreiras de gênero na educação, nas condições de trabalho e nas práticas de promoção que desfavorecem a entrada das mulheres nas carreiras científicas. “Devemos promover a cooperação e o apoio mútuo acima do individualismo e da competição”, diz Jami. “Embora seja importante ter igualdade de gênero em todas as atividades humanas e instituições sociais, é especialmente importante na ciência.”

“Todos os seres humanos devem estar em condições de saber que a ciência é deles para estudar, praticar e apropriar-se.”

Catherine Jami, União Internacional de História e Filosofia da Ciência e Tecnologia

O relatório preliminar, publicado por ocasião da Dia Internacional para Mulheres e Meninas na Ciência, incluiu um aviso claro – simplesmente contar às mulheres e meninas sobre as oportunidades STEM provavelmente não fará uma grande diferença na diferença de gênero, a menos que outras estratégias de apoio sejam implementadas. O Relatório sugeriu quatro estratégias para inspirar as mulheres jovens a seguir carreiras nas áreas científicas:

  1. Envolva famílias e comunidades na promoção de carreiras STEM para meninas, especialmente quando essas carreiras são contrárias às expectativas e normas culturais.
  2. Envolva meninas e mulheres na exploração de questões sócio-científicas.
  3. Promova o apoio social para mulheres e meninas, como redes de pares e orientação de pesquisadores ou profissionais STEM mais experientes.
  4. Desenvolver habilidades de liderança, defesa e comunicação de mulheres e meninas em STEM.

“Todos os seres humanos devem estar em condições de saber que a ciência é deles para estudar, praticar e se apropriar”, diz Jami. “Isto é crucial numa altura em que nos deparamos com a promoção dos chamados 'factos alternativos'. Em vista da necessidade urgente de encontrar maneiras eficazes de lidar com as principais ameaças que a raça humana enfrenta, é essencial que aproveitemos todos os recursos de talento científico disponíveis, não apenas a metade definida por um gênero”.


O relatório preliminar do Gender Gap in Science Project está disponível para download. Para mais informações sobre o Gender Gap in Science Project, visite o site: https://gender-gap-in-science.org/


Os parceiros do Projeto incluíam dois principais sindicatos científicos internacionais:

E nove apoiando sindicatos e organizações científicas internacionais:


O ISC Programa de bolsas foi estabelecido para criar iniciativas internacionais lideradas pelos sindicatos membros do ISC no desenvolvimento de atividades de educação científica, divulgação e engajamento público, e para mobilizar recursos para colaboração científica internacional. O Projeto Gender Gap in Science coincide com as prioridades do ISC como parte de sua Plano de ação que procura garantir que os sistemas científicos representem e promovam as contribuições intelectuais de mulheres e outros grupos sub-representados.


Foto CC-BY-2.0 Laboratório Nacional de Idaho

VER TODOS OS ITENS RELACIONADOS

Ir para o conteúdo