Seja um voluntário

Global Knowledge Dialogue realizado na África do Sul é um grande sucesso

O primeiro da série de Diálogos Globais de Conhecimento foi realizado na Cidade do Cabo, África do Sul, à margem do Fórum Mundial de Ciências.

O ISC realizou sua primeiro em uma série de Diálogos Globais de Conhecimento na Cidade do Cabo, África do Sul, às margens do Fórum Mundial de Ciências. Mais de 120 representantes de membros de 40 países participaram do diálogo, que incluiu parcerias com a Organização de Mulheres Cientistas para o Mundo em Desenvolvimento (OWSD) e a Global Young Academy (GYA) e representação internacional da Austrália, Malásia, Japão, Turquia, Irã e o Reino Unido. Os membros do capítulo da INGSA e os representantes da Terra do Futuro também participaram da sessão da tarde.

Salim Abdool Karim, vice-presidente de divulgação e engajamento do ISC, abriu os procedimentos, dando as boas-vindas aos membros do ISC e desafiando a reunião a pensar sobre a miríade de crises que estão se desenrolando em nosso planeta.

“A ciência precisa de uma voz forte, a ciência precisa de uma voz corajosa e a ciência precisa de uma voz que fale sobre todos esses desafios com integridade”, disse ele.

reprodução de vídeo

Em seu discurso, Peter Gluckman, presidente do ISC, aproveitou a oportunidade para informar os participantes sobre as ameaças existenciais que a humanidade enfrenta, incluindo questões sobre coesão social, saúde mental, conflitos e falhas do sistema multilateral, oportunidades e preocupações com novas tecnologias e uma perda de confiança nas elites, incluindo academia e ciência.

“A ciência é a ferramenta mais poderosa que temos para entender nosso mundo e enfrentar as muitas crises que enfrentamos. A África deve desempenhar um papel de liderança e esperamos que os membros do ISC convoquem esse poder”, disse ele.

O presidente delineou a visão do Conselho de Administração para as áreas prioritárias do ISC, que incluía elevar o perfil do ISC para ser a voz global eficaz para e da ciência, abordando as lacunas no esforço científico pela sustentabilidade por meio do Comissão Global do ISC sobre Missões Científicas para a Sustentabilidade, criando o fundo de caridade do ISC que permitirá ao Conselho arrecadar fundos e expandir o número de membros do ISC e capacitar os membros. Ele também compartilhou suas opiniões sobre o impacto positivo que o Ponto Focal da América Latina e Caribe estava tendo em seus primeiros seis meses de operação e estava confiante de que o ponto focal para a Ásia e Pacífico, baseado em Australia, e um futuro ponto focal para a África teria o mesmo sucesso.

“Este é o nosso primeiro de uma série de Diálogos Globais de Conhecimento e aproveitamos a oportunidade no Fórum Mundial de Ciência para ouvir representantes dos membros do ISC sobre como devemos levantar a voz da ciência para e da África. O diálogo está apenas começando – estamos construindo uma relação mais forte entre a ciência africana e a comunidade científica global”, disse Gluckman.

Os participantes foram apresentados ao novo CEO Salvatore Aricò, que agradeceu ao ISC pela oportunidade, dizendo que estava ansioso para conhecer os membros e apoiar o Secretariado na próxima fase do ISC.

Um elemento surpresa foi adicionado ao Global Knowledge Dialogue na forma de “Ignite Talks”, projetado para inspirar e mostrar a ciência dos membros celebrando a narrativa de uma perspectiva pessoal. Ignite Talks enfocou as jornadas de liderança em ciência da Dra. Palesa Sekhejane, Conselho de Pesquisa em Ciências Humanas da África do Sul, Dra. Olubukola Babalola, Vice-presidente da Academia Mundial de Ciências (TWAS) e Vice-presidente da Organização das Mulheres na Ciência para o Mundo em Desenvolvimento (OWSD), ciência climática do Prof Josephine Ngaira, International Geographical Union, e uma história de amor pessoal tecida em astronomia por Kevin Govender do Escritório de Astronomia para Desenvolvimento da União Internacional de Astronomia na África do Sul. O Ignite Talks energizou o público, fazendo com que os participantes se levantassem ao ouvir as histórias.

reprodução de vídeo
reprodução de vídeo
reprodução de vídeo
reprodução de vídeo

A sessão da tarde foi dedicada ao diálogo com os membros. Mathieu Denis, Diretor de Ciências, resumiu os resultados de uma série de discussões realizadas com membros do ISC na África em preparação para o evento com intervenções de cientistas eminentes:

  • Dr. M. Oladoyin Odubanjo (Academia de Ciências da Nigéria e membro do ISC),
  • Dra. Lidia Brito (UNESCO Zimbabwe e ISC Fellow),
  • Dr. Michael Atchia (Academia Maurícia de Ciência e Tecnologia),
  • Dra. Connie Nshemereirwe (Programa Africano de Liderança Científica e ISC Fellow),
  • Dr. Carlos Lopes (Nelson Mandela School of Public Governance e ISC Fellow), e
  • Dr. Christian Acemah (Academia Nacional de Ciências de Uganda e ISC Fellow)

Salim Abdool Karim moderou esta sessão animada, onde os membros abordaram questões-chave em governança, fortalecimento de capacidade, financiamento, sistemas de conhecimento africanos, identidade africana, educação e o papel específico das ciências sociais. Jennifer Thomson, Presidente da OWSD, acrescentou que uma questão premente para a ciência africana é a inclusão e participação das mulheres.

“O diálogo na Cidade do Cabo hoje foi enriquecido por nossa diversidade de experiências e conhecimentos. Uma virtude de todos os presentes na reunião de hoje é que devemos exortar aqueles que ocupam cargos de tomada de decisão a serem guiados pela ciência”, disse Michael Atchia da Academia de Ciência e Tecnologia das Ilhas Maurício.

“A sessão foi muito rica com pessoas conhecedoras que refletiram sobre as questões da ciência e como ela pode ser usada para trazer mudanças para a vida das pessoas no meu país, inclusive reduzindo as desigualdades”, acrescentou Suad Sulaiman, da Academia Sudanesa de Ciências.

Uma equipe baseada no Future Africa, o campus pan-africano da Universidade de Pretória, apoiará o ISC nos próximos anos, construindo uma presença efetiva e um anel de pontos focais no continente. Heide Hackmann, Diretora da Future Africa, e Prof. Twana Kupe, Diretora e Vice-Reitora da Universidade de Pretória, apresentaram as atividades e recursos da Future Africa.  

O dia terminou com comentários dos membros do Conselho de Administração do ISC presentes. 

Françoise Baylis, Motoko Kotani e Walter Oyawa juntaram-se a Salim Abool Karim e Peter Gluckman, juntamente com Salvatore Aricò, para agradecer aos membros e parceiros por fornecerem suas opiniões sobre o envolvimento do ISC na África e como fortalecer uma voz africana para a ciência. 

O dia terminou com 150 convidados reunidos na animada área portuária da Cidade do Cabo para um jantar em homenagem à presidente inaugural Daya Reddy e à primeira CEO do ISC, Heide Hackmann, seguido pelo anúncio da Prêmio Planeta Fronteiras na África. 

Os membros africanos do ISC serão chamados em 2023 para continuar o diálogo.

Ir para o conteúdo