Projetos colaborativos

Iniciativas que reúnem representantes de alto nível de três organizações científicas internacionais: o International Science Council (ISC), a InterAcademy Partnership (IAP) e a The World Academy of Sciences (TWAS).

Saja Al Zoubi

O ISC trabalha regularmente com os parceiros InterAcademy Partnership (IAP) e The World Academy of Sciences (TWAS) em projetos colaborativos que representam a comunidade científica global na área de política internacional para a ciência.


Cientistas refugiados e deslocados

Esta iniciativa em andamento visa aumentar a consciência internacional e a atenção para a questão dos cientistas refugiados e deslocados, estabelecendo uma rede global de instituições para apoiá-los. Isto foi lançado em junho 2020, e é liderado pela The World Academy of Sciences (TWAS) em parceria com o ISC e o IAP.

Saiba mais sobre o projeto Refugiados e cientistas deslocados


Big Data / Open Data

O tema da primeira iniciativa colaborativa desta série foi 'Big Data / Open Data'. Por meio da iniciativa, uma equipe internacional e interdisciplinar desenvolveu um acordo sobre os valores dos dados abertos na cultura científica emergente de big data. O acordo resultante - Dados abertos em um mundo de Big Data - propõe um quadro internacional de princípios. Isso reflete nossa convicção de que, em uma era de pesquisa de big data, os dados abertos são essenciais para permitir testes e replicações independentes e rigorosos das descobertas e para apoiar a participação total de países de baixa e média renda no empreendimento de pesquisa global.

Após a publicação do acordo, as organizações parceiras - sob a bandeira de 'Science International' - iniciaram uma campanha em busca de endossos organizacionais para os princípios estabelecidos no acordo “Dados Abertos em um Mundo de Big Data”.



Imagem de Nicole Leghissa: Saja Al Zoubi, uma cientista social síria e ex-bolsista de pós-doutorado da TWAS, deixou seu país natal em um tempo de guerra e conduziu pesquisas nos campos de refugiados do Líbano. Ela é apresentada no documentário TWAS 2017, “Ciência no Exílio".

Compartilhar

Ir para o conteúdo